História da AEP (resumida) PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

Ao celebrar noventa e cinco anos, a AEP continua a honrar e a orgulhar-se do lema proposto pelos seus fundadores: "Servir a Juventude".

Em 1911, o Tenente Álvaro Machado fundou em Macau o primeiro Grupo de Escoteiros em terras portuguesas. No ano seguinte, Lisboa viu também surgir o primeiro Grupo do continente português.

Os três primeiros Grupos de Lisboa fundaram, em 6 de Setembro de 1913, a Associação dos Escoteiros de Portugal (AEP).

Desde a sua fundação, alheia a credos religiosos e partidarismos políticos, a AEP conseguiu a admiração e o respeito dos portugueses e dos primeiros governos da República.

Com a presença de vários escoteiros no 1º Jamboree Mundial, realizado no ano de 1920, em Londres, a AEP inicia as suas representações oficiais e participa em muitos eventos internacionais do Escotismo, tendo tido a grata missão de receber Baden-Powell, o fundador do Escotismo, aquando das suas visitas a Portugal em 1929 e 1934.

A partir de 1936 e até ao 25 de Abril de 1974, a AEP sobreviveu com grandes dificuldades, sendo considerada indesejável pelo governo e alvo de perseguições e pressões. Pretendia-se com a extinção da AEP o reforço da Mocidade Portuguesa, movimento obrigatório e que nada tinha a ver com o método, os princípios e as finalidades do Escotismo.

Actualmente, a AEP conta com mais de 9000 jovens em 130 Grupos locais espalhados por todo o Continente e Regiões autónomas.

Ao celebrar noventa anos, a AEP continua a honrar e a orgulhar-se do lema proposto pelos seus fundadores: "Servir a Juventude".

  • Reconhecida como Benemérita (1917)
  • Membro fundador da Organização Mundial do Movimento Escotista (1922)
  • Recebeu a Cruz Vermelha de Mérito (1924)
  • Recebeu a Ordem de Benemerência (1931)
  • Recebeu a Medalha do Instituto de Socorros a Náufragos (1974)
  • Reconhecida de Utilidade Pública (1980)

 

 

 

texto adaptado de aep.pt