Calor PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

É imprescindível estar em boa forma para enfrentar temperaturas elevadas. A elevada transpiração do corpo produzida pelo calor, exige uma habituação progressiva. Antes de se iniciar uma viagem numa região com clima árido, recomenda-se a simulação de situações com exercício físico em condições climáticas mais ou menos parecidas. É suficiente começar três ou quatro semanas antes. Se a temperatura do lugar onde se vive não é suficientemente elevada, pode substituir pela prática de exercícios estando excessivamente abrigado (utilizar sweat-shirts e t-shirts que retenham o calor). Como consequência disto, as glândulas sudoríferas dilatam-se imediatamente e o sangue circula muito próximo da pele, para libertar o calor interno.

 

A indumentária é outro ponto a ter em conta; para se proteger do calor e dos ventos cálidos que provocam a rápida evaporação do suor, é conveniente cobrir a maior parte do corpo com roupa folgada, branca ou clara e sempre de algodão. Os chapéus de aba larga são também os mais adequados. Contudo, é necessário que a roupa que esteja em contacto directo com a pele tenha aberturas que permitam a evaporação da humidade da pele, já que isto provoca uma diminuição da temperatura corporal. Se as roupas as não tiverem, é conveniente você mesmo fazer uns cortes ou buracos, sobretudo nas axilas, cotovelos, joelhos e entre as pernas. Muitos chapéus têm buracos exactamente para isso; deve-se ter em conta que a cabeça é a parte mais sensível ao calor e é imprescindível andar com a cabeça descoberta para não correr o risco de sofrer uma insolação, náuseas e tonturas.  O calçado deve ser resistente, sendo as botas com cano as melhores. Durante um percurso diurno deve-se usar óculos de sol com protecção efectiva aos raios ultravioletas.

 

Fazer exercícios com temperaturas elevadas implica um volume de transpiração aproximadamente de 7,5 litros por dia, pelo que, para se repor esta quantidade de água e de sais, aconselhamos sempre que possível a ingerir bebidas isotónicas. Vendem-se de duas formas: em líquido ou em pó; ambas são absorvidas rapidamente pelo organismo e além disso renovam energias devido ao suplemento adicional de glucose que contêm.

 

As radiações solares encontram-se entre as agressões externas à pele mais importantes. O sol e o calor são susceptíveis de provocar queimaduras, insolações e excesso de calor.

 

 

Queimaduras


A protecção da pele é essencial quando se realiza uma actividade ao ar livre (não é só na praia); é conveniente a utilização de cremes com um alto índice de protecção e o uso de roupas adequadas, senão uma grande exposição solar pode provocar os seguintes sintomas: pele vermelha (queimadura de primeiro grau), hipersensibilidade ao tacto, aparição de arrepios e formação de bolhas (queimadura de segundo grau).
Deve-se ter em conta que quanto mais alto tiver o sol, maior é o dano das radiações ultravioletas. Inclusivamente em dias nublados e em certas circunstâncias deve-se estar bem protegido. O efeito das radiações depende de várias coisas: do tipo de pele de cada pessoa, da hora solar, da parte do corpo exposto ao sol e da paisagem, porque existem paisagens que reflectem maior quantidade de radiação que
outras, tornanado-se mais perigosas; são disto exemplo a areia branca, as pedras claras e a neve. O tratamento adequado para queimaduras de primeiro grau consiste em aplicar compressas frias e húmidas nas zonas afectadas (sempre que a pele não esteja gretada). As bolhas não devem ser picadas ou rebentadas, desinfectando-se convenientemente a zona com um medicamento adequado.

 

Insolações


As principais causas são uma prolongada exposição ao sol que incide na cabeça. Os sintomas mais frequentes são: fortes dores de cabeça, zumbidos nos ouvidos, irritação das meninges, náuseas que podem provocar vómitos, palidez e inclusivamente perda de sentidos, fadiga e enjoos.
O tratamento correcto deve iniciar-se logo de imediato, deitando o doente num sítio fresco e arejado para que possa descansar; a roupa não deve estar apertada e como complemento será bom ter algo a refrescar o doente, como uma ventoinha ou um leque; administrar-lhe bebidas frescas, se possível isotónicas; aplicar panos húmidos e elevar a parte superior do corpo; e primeiro que tudo chamar imediatamente um médico.

 

Excesso de calor


Produz-se quando o corpo realiza grandes exercícios físicos, num ambiente quente e húmido; provocam sufocos, afogueamentos e mesmo o desmaio; a desidratação e a incapacidade do organismo para libertar calor são uma das principais causas que provocam este estado. Os sintomas imediatos são: a perda de coordenação e tonturas; aumenta a temperatura corporal podendo chegar inclusivamente aos 44ºC e a pele aquece e seca; o pulso acelera e aparecem dores de cabeça, cãibras, tonturas, dificuldades respiratórias, diarreias e convulsões. O tratamento é o mesmo das insolações; as bebidas quentes são bastante aconselháveis, pois ajudam a reanimar.



O melhor é mesmo prevenir do que remediar…