Mística e Símbolos da Tribo de Exploradores PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

"atenção! brevemente este artigo irá mudar para www.aep129.pt"


 

 

Mística
A mística da Tribo de Exploradores baseia-se nos povos exploradores como símbolo do espírito de descoberta e exploração, e cada Tribo de Exploradores deverá escolher um Povo , com o qual se identifica, e retirar elementos da sua cultura para usá-los como símbolos da Divisão, criando assim uma identidade própria. Estes símbolos e referências são usados para caracterizar a Sala da Tribo de Exploradores, ou em algumas actividades, mas não são usados no uniforme.


Símbolos
São símbolos da Tribo de Exploradores o nome da Divisão, os distintivos, a cor azul, a vara individual de Explorador, os gritos, hinos e canções, o Diário de Patrulha, o animal totem de Patrulha, a bandeirola de Patrulha, o grito de Patrulha, as cores do animal totem, o Escalpe de Patrulha e o totem pessoal.


Cerimónias e Rituais

Na Tribo de Exploradores existem as seguintes cerimónias:
Cerimónias de entrada e saída de Tribo de Exploradores e Patrulha.
Compromisso de Honra feito perante o Grupo e convidados no final da 1ª Etapa de progresso e as cerimónias de atribuição das insígnias de progresso da 2ª e 3ª Etapas.
Cerimónias de investidura nos cargos de Patrulha.
São rituais comuns os Gritos de Tribo de Exploradores e de Patrulha.

Saudação:
A Saudação Escotista consiste em erguer o braço direito, colocando o cotovelo perto do corpo e a respectiva mão à altura do rosto. Com a respectiva mão, manter esticados os dedos indicador, médio e anelar, formando um "III". O dedo mindinho dobra sobre a palma da mão e o dedo polegar encosta ao mesmo, por cima. Os três dedos esticados simbolizam os três artigos do Compromisso de Honra e o anel formado pelo mindinho e polegar, a fraternidade Escotista e a máxima "o mais forte ajuda o mais fraco".

 

 

texto adaptado de aep.pt